15 de out de 2008

Mentalidade Reformadora

. . Neste mês comemorativo de 491 anos da Reforma Protestante uma pergunta se levanta contra mim:

“Será que tenho buscado juntamente
com a doutrina reformada um viver piedoso?"

"E a exemplo de tão grande número de heróis na fé,
tenho eu buscado uma mentalidade reformadora
para a manifestação da glória majestosa e da graça soberana de Deus
em nosso retorno ao Evangelho da Cruz?”

. . Junto com a pergunta, este versículo ecoa em meus pensamentos:

[2 Timóteo 2:21; NVI]
Se alguém se purificar dessas coisas, será vaso para honra,
santificado, útil para o Senhor e preparado para toda boa obra.

. . O que segue é a conclusão do livreto Desafio a Reforma de Thomas K. Ascol.

Reflitamos.



. . Hoje em dia, quando as igrejas estão em confusão espiritual e doutrinária, o chamado a todo pastor e a cada crente sincero é orar por reforma e trabalhar em favor dela. Fazer isto exige o desenvolvimento de uma nova visão, uma nova perspectiva dos desafios e oportunidades diante de nós.
. . Paulo oferece um excelente modelo para seguirmos. Olhava para seu trabalho com uma mentalidade reformadora. Esta mesma atitude é encontrada na vida dos grandes mártires e reformadores, em toda a história da igreja. É resumida e expressa por Martinho Lutero em seu grande hino da Reforma.

Se nos quisessem devorar, demônios não contados,
Não nos podiam assustar, nem somos derrotados.
O grande acusador dos servos do Senhor,

Já condenado está! Vencido cairá
Por uma só palavra.

Sim, que a Palavra ficará, sabemos com certeza,
E nada nos assustará, com Cristo por defesa!
Se temos de perder os filhos, bens, mulher,
Embora a vida vá, por nós Jesus está,
E dar-nos-á seu reino.

"Castelo Forte", Cantor Cristão, 323

. . Se esperamos ver uma recuperação do evangelho em nossos dias, devemos abraçar a mensagem deste hino. Precisamos comprometer-nos com tenacidade apostólica à tarefa diante de nós. Mais importante ainda, precisamos comprometer-nos novamente a lembrar de Jesus Cristo, "que suportou tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo", para que não nos fatiguemos, desmaiando em nossas almas (Hb 12.3).

- Thomas K. Ascol, conclusão do livreto Desafio a Reforma
Baixe o e-book
Promoção do livreto na livraria Erdos

3 | COMENTE AQUI:

james disse...

A vós, graça e paz da parte de Deus e de nosso Senhor Jesus Cristo!

Estamos visitando o vosso blog, através da Comunidade Nacional de Blogueiros Cristãos – CNBC...

Um local na rede preparado por Deus, para a união em Amor Fraternal daqueles que tem em Jesus Cristo seu único objetivo de vida...

Faça-nos uma visita http://blogueiroscristaos.ning.com/, local de paz, onde o maior Amor é JESUS CRISTO!

Deus lhe abençoe e aos seus ricamente...

Fraternalmente.
Lucas, James, administradores CNBC.
www.jesusmaioramor.blogspot.com

Reinam Ribeiro disse...

Espero não desmaiar em minha alma. Desejo permanecer firme, inabalável. É difícil encontrar pessoas dispostas a reformar, muitos se acham inquestionáveis, são irrepreensíveis para o mundo, mas inaptos a ser parte de um corpo unido cada membro a seu membro bem ajustado por seus nervos e juntas. Ele morreu por nós, e nos deu sua glória para que sejamos um. Estejamos abertos para reformar sempre o quanto for necessário.

Juber Donizete Gonçalves disse...

Nestes quase 500 anos da Reforma Protestante é hora de fazermos um balanço dos avanços, mas também como nos últimos tempos, temos vistos claros retrocessos, que fariam Lutero e Calvino revirar nos túmulos.

Abraço.

Postar um comentário

Muito obrigado pela leitura e pelo comentário,

"Todo aquele que ler estas explanações, quando tiver certeza do que afirmo, caminhe lado a lado comigo; quando duvidar como eu, investigue comigo; quando reconhecer que foi seu o erro, venha ter comigo; se o erro for meu, chame minha atenção. Assim haveremos de palmilhar juntos o caminho da caridade em direção àquele de quem está dito: Buscai sempre a Sua face."
Agostinho de Hipona


Voltemos juntos ao Evangelho,
Vini