3 de out de 2008

Especial: O Peregrino, de John Bunyan (vídeo + e-books)


John Bunyan
. “Um dos autores mais influentes do Século 17, John Bunyan (1628 - 1688) foi um fenômeno cultural singular cuja aparição na historia das idéias cristãs possui um caráter surpreendente se levarmos em conta quem Bunyan era e sua historia de vida, o contexto histórico em que vivia e o ambiente cultural e teológico ao qual pertencia. Apesar de todas estas forças adversas e contra qualquer expectativa, Bunyan produziu uma obra literária, não só de grande repercussão e influência no mundo protestante como também de reconhecido valor literário.”[1]

O Peregrino
. “Sua obra - prima, O Peregrino, só perde para a Bíblia em numero de exemplares vendidos e influência nos círculos cristãos mais conservadores. Todas as obras alegóricas de Bunyan, incluindo esta, já foram livros muitos populares nos países de língua inglesa, notadamente na Escócia e nos Estados Unidos. Os tempos mudaram, os gostos mudaram, as idéias mudaram, e os livros de Bunyan caíram no esquecimento. Vale a pena, entretanto, ler estas antigas alegorias não só pela sua beleza literária, reconhecida pelos críticos desde o movimento romântico, mas também pela natureza edificante das idéias aqui presentes. Bunyan emociona e motiva, provoca a reflexão e eleva o espírito humano é contemplação dos mistérios da fé cristã.”[1]

Trecho: O Martírio de Fiel
. “Apoderaram-se dele para cumprirem as suas leis, açoitaram-no, esbofetearam-no, cortaram-lhe em pedaços de carne, apedrejaram-no, feriram-no com espadas, e finalmente lançaram-no ao fogo e reduziram-no a cinzas. Assim pereceu Fiel.
Mas, por detrás da multidão, vi eu, no meu sonho, um carro tirado a dois cavalos, que o esperava. E, logo que seus inimigos o mataram, foi arrebatado naquele carro pelas nuvens, ao som de trombetas, rumo à porta celestial. O castigo de Cristão foi adiado. O nosso peregrino voltou para a prisão, onde esteve ainda por algum tempo. Aquele, porém, que de tudo dispõe, e que tem na sua mão o poder da raiva dos inimigos, permitiu que Cristão escapasse por esta vez e continuasse o seu caminho.
. Que doces cantos ouvi eu de Cristão, enquanto caminhava! “Grande foi a tua felicidade no Senhor, meu bom amigo Fiel”, dizia ele. “Agora estás bendito, enquanto os incrédulos, cujos prazeres são falsos e vãos, se lamentarão no meio de penas e de agonias. Bendize a Deus, amigo Fiel, e canta: teu nome será eterno, porque vives, apesar de te haverem morto.”[1]

Vídeo



E-books

Baixe dois e-books de Bunyan, O Peregrino e A Peregrina, no site E-books Gospel.

Compre
A livraria Erdos está com uma promoção na compra dos dois livros (O Peregrino e A Peregrina). Confira.


______________________

[1] - Retirado do e-book


1 | COMENTE AQUI:

Ruy disse...

Olá Vinicíus, grande homem este John Bunian, não é sem motivo que eles são considerados gigantes na fé.
Parabéns pelo blog e pelo artigo.

Postar um comentário

Muito obrigado pela leitura e pelo comentário,

"Todo aquele que ler estas explanações, quando tiver certeza do que afirmo, caminhe lado a lado comigo; quando duvidar como eu, investigue comigo; quando reconhecer que foi seu o erro, venha ter comigo; se o erro for meu, chame minha atenção. Assim haveremos de palmilhar juntos o caminho da caridade em direção àquele de quem está dito: Buscai sempre a Sua face."
Agostinho de Hipona


Voltemos juntos ao Evangelho,
Vini