20 de ago de 2008

Spurgeon e a "Pregação" Moderna


. Não deve ser necessário introduzir estas considerações com uma declaração da necessidade de ler as Escrituras. Você sabe quão necessário é alimentar-nos da verdade revelada nas Escrituras Sagradas. Preciso perguntar se você lê a Bíblia, ou não? Lastimo que a presente época é de leitura de revistas — uma época da leitura de jornais — uma época de ler publicações periódicas, mas não tanto uma época de leitura bíblica quanto deveria ser. Nos tempos antigos, as pessoas tinham poucos suprimentos de outra literatura, mas achavam uma biblioteca suficiente naquele único Livro, a Bíblia. E como liam a Bíblia!
. Há uma grande escassez das Escrituras nos sermões modernos, em comparação com os daqueles mestres da teologia, os teólogos Puritanos! Quase todas as frases escritas por eles parecem lançar luzes adicionais sobre um texto das Escrituras; não somente o texto a respeito do qual pregavam, mas ainda muitos outros eram enfocados de modo novo, no desenvolvimento do sermão. Deus ajude os pastores a seguirem mais de perto o grandioso velho Livro. Seríamos pregadores instrutivos se fizéssemos assim, mesmo desconhecendo "o pensamento moderno" e sem estar "à altura da atualidade".

Gostou ou discordou? Deixe seu "Posfácio", clicando abaixo.

7 | COMENTE AQUI:

Clóvis disse...

Vinícius,

Uma das maiores tragédias da igreja é o declínio da importância da pregação, que cada vez mais fica esmagada num cantinho do culto. Mas se pelo menos esse pouquinho fosse bíblico em seu conteúdo!

A verdade é que em boa parte dos sermões, o texto é apenas para dar um ar de religiosidade ao sermão, algo como o hino nacional cantado antes de uma partida de futebol: está ali porque alguém disse que deveria estar, mas o que vem em seguida não tem nada a ver com o hino cantado.

A tragédia se avoluma se considerarmos que tudo o que boa parte das pessoas saberá da Bíblia vem de sermões e como estes não são expositivos, temos uma geração de analfabíblicos.

Que o Senhor se apiede de nós!

Daniel Miranda disse...

O que importa hoje é a quantidade demasiada de massa a ser aglomerada, e para que isso aconteça, o sermão deve ser do gosto da maioria, isto é, palavras de auto ajuda que massageie o ego. Quanto mais pessoas, mais status.

Que Deus possa nos guardar,

Daniel Miranda
www.olevita.blogspot.com

Gutierres Siqueira, 19 anos disse...

As palavras de Spurgeon são atualíssimas... Quantos pastores, pregadores, missionários, “conferencistas” que são analfabetos de Bíblia... Conhecem tudo de maldição hereditária, todos os detalhes dos demônios na Batalha Espiritual, dizem que recebem várias revelações dos céus... Mas e a Bíblia? A Bíblia é usada ao léu, manipulada para os próprios interesses mercantilistas. Fazem a prática de eisegese, pois colocam no texto suas próprias idéias... Spurgeon ainda fala!!!

Gutierres Siqueira
www.teologiapentecostal.blogspot.com

Christopher Marques! disse...

Vinícius,

A geração atual faz aquilo que o filho pródigo fez. Temos um intenso desejo pela comida dos porcos e nos esquecemos da casa de nosso Pai. Lembre-se: podemos fazer alfarrobas até de nossas formas de cristianismo. O nosso problema reside na nossa facilidade de satisfazer-nos com coisas fúteis. Portanto, estou persuadido de que a visão de um grande Deus é a chave na vida da igreja, tanto no cuidado pastoral quanto na expansão de todo reino. Nosso povo precisa mais de uma vida permeada da presença transformadora de Deus. É preciso que cada um levante dia a dia sua voz e exalte a supremacia de Deus. A nossa consciência deve despertar diante da santidade Deus. Devemos alimentar a mente com a verdade de Deus, purificar a imaginação através da beleza de Deus, abrir o coração para o amor de Deus, devotar a vontade ao propósito de Deus.

Spurgeon disse a respeito de John Bunyan – “Fure-o em qualquer parte; e você verá que seu sangue é bíblico, a própria essência da Bíblia flui dele. Ele não consegue falar sem citar um texto, pois sua alma está cheia da Palavra de Deus”. Nossa alma também deveria estar cheia da essência da Bíblia. Isto é o que significa estar impregnado do Espírito Santo e da sua Palavra.

PS: Gostei do blog. Acesse o meu blog quando puder!

Abraços Fraternus,
Christopher Marques
www.cristomarques.blogspot.com

Anderson Abreu disse...

Irmão Vine,

Obrigado pelo comentário e incentivo, vou precisar, ja que estou apenas iniciando.
Parabéns pelo seu blog também e pelos excelentes vídeos. É sempre agradável encontrar irmãos comprometidos com a fé reformada. Eu vi o video inicialmente no orkut do diretor do Seminário JMC. Estamos precisando de mais vídeos do Piper traduzido para o português, para que a Igreja seja sacudida com uma pregação fiel e esclarecedora como as do Piper.

Graça e paz,

pb. Anderson

Lucas Louback disse...

Ótimo texto do Spurgeon como todos que ja li dele.
Sobre C.S Lewis li poucas coisas dele mas pela linha de alguns pensamentos parece que descordarei em alguns outros assuntos
Concordo com a respota dele a respeito da felicidade sou e completamente a favor da idéia contida na frase do Piper.
Vejo uma diferença em alegria e felicidade até mesmo porque a vida que o evangelho nos propõe é ardua e que requer renúncias nem sempre havera felicdades e o que nos faz permanecer é a esperança que gera uma alegria em saber que Deus nos amou a ponto de nos salvar, um exemplo um martire ao ver sua família sendo conduzida para a morte antes dele por causa de Cristo não há muitos motivos de felicidade nesse momento pois temos emoções, mas sim motivo de alegria pois sua esperança é que em breve seus corpos serão renovados...

"Quanto a mim, há muito resolvi preferir a verdade a ser feliz na ignorância.Se não posso ter a verdade e a felicidade,dêem-me a verdade. Teremos bastante tempo para sermos felizes no céu." A.W Tozer

Na oração ele consegue a fonte de alegria, e mantém o coração alegre mesmo na tristeza."
A.W Tozer

mas isso é o de menos para debatermos ótimo blog irmão vou dar uma olhada nos seu vídeo no youtube abração Deus lhe guie

Ednaldo disse...

Olá Vinicius, aqui você tocou na ferida.

Não gosto de falar mal de ninguém, a não ser que seja arminiano - rsrsrs, brincadeirinha. Mas tenho que citar uma pregação feita pelo meu antigo pastor na igreja em que congregava.

Ele desenvolveu uma mensagem em 1Re 16:34, aquela passagem da reconstrução de Jericó. Meu irmão até hoje sinto arrepios, eu estava a porta da igreja, mas minha esposa se sentiu mal no banco ao ouvir a mensagem.

Na mensagem o pastor, que a exemplo da igreja em que congregava gosta muito de pregações alegóricas - eles chamam isso de "revelação", começou a usar tipos dizendo que:

Hiel - tipificava Deus Pai que inicia a obra de redenção
Abirão - Tipificava Jesus que morreu para iniciar a obra.
e Segube - Tipificava a Igreja, que apos a obra estar pronta morre para o mundo

O resto é só desenvolvimento, sinceramente fiquei escadalizado, foi um dos motivos de sair de lá.

Realmente falta Bíblia, e falta o Espírito em nossos pulpitos.

Fica na Paz de Cristo,

Ednaldo.

Postar um comentário

Muito obrigado pela leitura e pelo comentário,

"Todo aquele que ler estas explanações, quando tiver certeza do que afirmo, caminhe lado a lado comigo; quando duvidar como eu, investigue comigo; quando reconhecer que foi seu o erro, venha ter comigo; se o erro for meu, chame minha atenção. Assim haveremos de palmilhar juntos o caminho da caridade em direção àquele de quem está dito: Buscai sempre a Sua face."
Agostinho de Hipona


Voltemos juntos ao Evangelho,
Vini